Revendo conceitos, combatendo heresias e defendendo a fé original
** Deseja nos enviar uma crítica, dúvida ou sugestão? Visite a Página de Contato e deixe seu recado! Faça seus estudos bíblicos rápidos de maneira prática e eficaz... conheça nosso recurso online para Estudo Pessoal!
O artigo "Doutrina de Demônios", que por muito tempo foi o mais lido do blog, está sendo reescrito! Por se tratar de um artigo extenso, será repostado em partes. Aguarde!
Para acompanhar novos artigos, curta nossa página no Facebook ou nos siga no Twitter.

Vida Nova, na Dependência de Deus


Veja em tão grandiosa graça que estamos!
Debaixo das asas do altíssimo!
Resumiremos aqui, sobre a Condenação, Vivificação, e Primeira Ressurreição. Seguindo o princípio apostólico: Discernir as coisas espirituais com as espirituais, humanas com humanas.


A CONDENAÇÃO

     Acreditar em um lugar com fogo onde um indivíduo é atormentado para todo sempre pelo fato de não ter crido em Jesus, é acreditar em um deus cruel que em nada é amor.
O apóstolo Paulo diz aos hebreus que deus nos corrige assim como pai nos corrige.
Essa é a "condenação", essa é a "angústia" apocalíptica...
Deus exerce juízo CORRIGINDO, e não mal-tratando eternamente seus filhos.
Sua misericórdia é eterna. Não ensinou ele, pela boca do filho Jesus Cristo, a perdoar setenta vezes sete?
E ele mesmo não perdoaria?
Não disse Cristo, que não veio condenar o mundo mas sim salvá-lo? Se esse é o objetivo, o que aos nossos olhos parece condenação, é apenas correção para que possamos ser salvos!
No Apocalipse não se registra o que ocorre depois da segunda morte, ou se registra? Não. Quem fica eternamente na aniquilação é o diabo (nossa natureza pecaminosa) e não nós.

A VIVIFICAÇÃO

     Como ensinamos no artigo "Plano da Felicidade", aqui ensinaremos um pouco mais sobre esse plano, com foque no papel de Jesus Cristo nisso.

Vejamos...
Jesus veio ao mundo nos mostrar como sermos felizes.
Quem não ser como ele, será condenado (sofrerá castigo para correção) pois seu exemplo é o único caminho para se chegar a deus.
Repare: "Único caminho para se chegar a deus".
Nele temos acesso ao nosso pai!
Como dito no Plano da Felicidade, Adão e Eva escolheram ser independentes de deus para viver. Quando deus expulsou Adão e Eva, DEU LIBERDADE a eles, ou estou errado?
Sim, deu liberdade! Pois foi a escolha deles.
Porém, essa liberdade (assim como o pai dá aos filhos maduros) não ocasionou no momento certo. Eles não haviam aprendido suficiente sobre o mundo que estava a esperar por eles.
Com o evangelho de Jesus, chegamos novamente ao pai, e aprendemos a cada dia mais dele.
Tornamos dependentes dele novamente... Em contradição ao ocorrido no Éden (independência é morte), Com a vinda de Jesus, voltamos a depender do pai. Como o melhor dentre os melhores pais, deus nos ensina pelo seu santo espírito e nos corrige quando necessário, tudo para o nosso BEM.

Essa é a graça, e esse é o evangelho.
Dizem alguns, que seremos como Adão e Eva somente no mundo vindouro. Não é o que o evangelho diz.

Nisso entra o "clássico contraste" que as doutrinas sem o espírito não conseguem interpretar...
O contraste entre "debaixo da graça" X "debaixo da lei".
O autenticismo interpreta da seguinte forma: Estar debaixo da lei é rejeitar a dependência nossa para com nosso pai.
A lei foi dada sim por deus, mas para "tentarmos levar" uma vida salva do mal, SEM DEPENDER DO PAI. Mas, ela é fraca pra isso! Pois não conseguimos!
Estar debaixo da graça, é estarmos debaixo da misericórdia do pai. Ainda que sejamos filhos que não mereçamos carinho, ele nos dá. Que não mereçamos amor, ele nos dá. Que não mereçamos salvação, mesmo assim, ele nos salva e nos protege do mal. Por isso mesmo podemos dizer, que a salvação é dom de deus (presente de deus). Que o amor que  temos entre nós, temos porque deus nos deu. A fé, a esperança... Com a graça, o nosso pai nos dá tudo de bem e de melhor!

A PRIMEIRA RESSURREIÇÃO

     Cremos que a maior parte da escatologia já era concluída nos primeiros séculos. Apenas a ressurreição e restauração total da Terra que não houve e nem tão cedo será (mas já estamos perto do milênio da restauração começar!).
Nisso, muitos perguntam: A primeira ressurreição antecede à restauração total (chamado por muitos de juízo final)... então, houve ressurreição na era apostólica?
A resposta é simples: Sim.

Essa ressurreição não é o retorno da alma... se não, a "nova vida".


"Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou,
Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos),
E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus;
Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus.
Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus."
(Efésios 2:4-8)
"Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus."
(Colossenses 3:1)
 "Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água;
Que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, o batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da indagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo;"
(I Pedro 3:20-21)
     Nesta vida nova, vivemos com Cristo e não tem poder sobre nós a segunda morte (a morte posterior à dessa vida).
Essa é a primeira ressurreição, vivida sim pelos apóstolos! E também por nós!



Nenhum comentário:

Postar um comentário